24 de mar de 2015

Pernas

Charles Bukowski


Tradução de Claudio Willer

Novos poemas do velho safado

ela chegou de táxi
completamente embriagada.
[...]
e lá estava eu
olhando-a [...]
estendida sobre a cama
a saia erguida bem alto.
eu mamei meu drinque
e então a segui até
a cama e ergui
sua saia mais alto ainda:
que vista
aquelas pernas gloriosas
descobertas e indefesas.
[...]
fizemos uma tamanha farra
e passamos por muita agonia juntos
por alguns anos
mas ela achou
a vida dura demais;
ela morreu
há 34 anos e
eu nunca vi
pernas como aquelas
desde então
e eu nunca
deixei de
procurar.

 Fonte:  http://www.lpm-blog.com.br/

Nenhum comentário: