29 de set de 2010

A morte está fumando meus charutos

Sabe como é: estou aqui mais uma vez bêbado
ouvindo Tchaikovsky no rádio.
Jesus, eu o ouvi há 47 anos atrás
quando eu era um escritor que passava fome
e aqui está ele novamente
e agora faço um pouco de sucesso como escritor
e a morte está andando para cima e para baixo
neste quarto fumando meus charutos
tomando tragos do meu vinho
enquanto Tchaik toca ininterruptamente
a Pathétique, tem sido uma jornada e tanto
e qualquer sorte que tive foi porque rolei o dado
direito: passei fome pela minha arte, passei fome para
ganhar malditos 5 minutos, 5 horas,5 dias---
eu só queria escrever;
fama, dinheiro, não importava:
eu queria escrever e eles me queriam em uma puncionadeira,
na linha de montagem de uma fábrica
queriam que eu trabalhasse no estoque em uma
loja de departamentos.
bem, diz a morte, enquanto caminha, eu vou te pegar de qualquer maneira
não importa o que você tenha sido: escritor, motorista de táxi, cafetão,açougueiro,
pára-quedista, eu vou te pegar...
tudo bem querida, digo a ela.
nós bebemos juntos agora enquanto uma da manhã transforma-se em
duas da manhã e somente ela sabe o momento, mas eu a
trapaceei: consegui meus
malditos 5 minutos
e muito mais.

[extraído do livro The Last Night of the Earth Poems (1992), Black Sparrow Press]

Origem no blog http://www.traducoesdeumvelhosafado.blogspot.com/

Nenhum comentário: